Mulher com máscara

Caros colegas:

Estamos a viver um momento difícil e todos nós somos necessários para tratar os nossos doentes.

No entanto, o médico tem o direito de prestar cuidados de saúde em segurança, tem o direito à sua saúde e tem a obrigação de defender a saúde dos doentes pelo que, para isto, necessita de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados.

Neste sentido, o Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS), em defesa dos médicos, vem questionar quais são as carências de material sentidas.

Trata-se de um questionário totalmente ANÓNIMO, comprometendo-se o SMZS ao sigilo, que demora apenas 2 minutos.

Aceda ao inquérito aqui: https://pt.surveymonkey.com/r/BYMPHGP

FAQ

A Federação Nacional dos Médicos disponibiliza um guia de perguntas frequentes, para trabalhadores médicos, sobre as medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica do novo coronavírus - COVID-19.

A FNAM vai continuar a acompanhar a evolução da situação e prestar todo o apoio no esclarecimento de qualquer dúvida. 

Versão do documento: 3.0 - 22/03/2020

Assuntos tratados:

  • Suspensão de atividades letivas e não letivas / mobilização para o serviço ou prontidão
  • Mobilidade
  • Médicos aposentados
  • Férias
  • Procedimentos relativos a equipamentos de proteção individual (EPIs) para médicos

Anexo:

  • Anexo I – Formulário para solicitar apoio excecional junto do empregador;

  • Anexo II Minuta de declaração de recusa de exercício de funções por falta de EPIs.
SAMS

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) teve conhecimento que o Hospital SAMS tem 5 dos seus médicos infetados por COVID-19, sendo que 2 deles estão internados no Hospital Curry Cabral.

Os profissionais médicos que estiveram em contacto com aqueles infetados mantêm-se a trabalhar, apesar do teste para o COVID-19 ter sido negativo.

O SMZS relembra que os profissionais de saúde são aqueles que estão mais expostos e um dos principais veículos de transmissão do coronavírus se não estiverem adequadamente protegidos.

Apelamos assim ao Ministério da Saúde para que imponha a todas as unidades de saúde, públicas ou privadas, a proteção dos médicos e dos restantes profissionais de saúde, sendo certo que essa proteção é vital para tratar os doentes.

O Hospital dos SAMS não pode ter impunemente esta conduta de não cumprimento rigoroso de adequada proteção dos médicos que estão ao seu serviço.

Documentos:

© 2018 Sindicato dos Médicos da Zona Sul