Clima de intimidação no ACES Almada-Seixal

Vários profissionais de uma unidade do Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) Almada-Seixal foram coagidos a subscrever um singular abaixo-assinado, já preenchido com os seus nomes. O texto é de louvor e apoio ao Director Executivo do próprio ACES. Os subordinados que não concordassem com o teor, em vez de não assinar, tinham de eliminar (rasurar?) o próprio nome.

A Direcção do ACES “convidou” os coordenadores a elaborar um abaixo-assinado de apoio ao Director Executivo, depois de o SMZS – Sindicato dos Médicos da Zona Sul ter criticado e denunciado, em Setembro, num comunicado que pode ser consultado no seu site, os atropelos ao quadro legal em vigor e violação das orientações emanadas da própria Administração Central do Sistema de Saúde, na forma como a direcção do ACES quer reorganizar o Serviço de Atendimento Complementar (AC).

Na semana passada, o SMZS também apresentou uma queixa-crime no Ministério Público contra o Director Executivo do ACES Almada-Seixal, Dr. Luís Amaro, por uso ilegal de dados privados do SMZS e intimidação de dirigente sindical. 

Conforme o SMZS também detalha no seu site, o Director Executivo do ACES Almada-Seixal, numa atitude abusiva de devassa de dados privados, tornou pública informação interna do grupo electrónico fechado e confidencial do Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS), à qual teve acesso indevido e da qual se apropriou ilegalmente, tendo esta sido divulgada a todos os médicos do referido ACES.

O abaixo-assinado é um meio legítimo de angariação de apoios para as mais variadas causas, desde que a assinatura seja voluntária e consciente. No entanto, este abaixo-assinado "pré-fabricado" é utilizado para pressionar e intimar os trabalhadores do ACES Almada-Seixal.

Perante a recorrência de comportamentos anti-democráticos e a implementação de um clima de intimidação e de assédio, o SMZS exige ao Ministro da Saúde a imediata substituição deste nomeado político.

naom 56b0af4ef26c8

© 2018 Sindicato dos Médicos da Zona Sul